SOS Xavante: campanha quer evitar genocídio de tribos

A pandemia da Covid-19 se alastra velozmente entre o povo Xavante. Em 24 horas entre a sexta (26) e sábado (27), houve mais 10 mortes nas aldeias, em Mato Grosso, onde vive a quase a totalidade dos 22 mil Xavante do país. Segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, a taxa de letalidade na população Xavante alcançou 11,7%, índice 160% maior que a atual média da população brasileira (4,5%).

As entidades que lançaram a campanha A’UWE TSARI – SOS XAVANTE fazem um apelo por doações urgentes para que possam salvar essa população do genocídio. É imprescindível instalar uma Unidade de Saúde Avançada próxima das aldeias mais impactadas, além de fornecer equipamentos sanitários e segurança alimentar.

As doações podem ser feitas de duas maneiras:

1.No link captar.info/campanha/sosxavante

2.Na conta da Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Centro-Norte (CNPJ 33.710.419/0001-96) no Banco do Brasil (agência 3325-1 e cc 40 6895-5).

A campanha A’UWE TSARI – SOS XAVANTE foi lançada em 24 de junho pelas entidades: Federação dos Bancários do Centro-Norte (Fetec-CUT/CN), Federação dos Povos Indígenas do Mato Grosso (Fepoimt), Condisi Xavante (Conselho Distrital de Saúde Indígena Xavante), Sindicato dos Bancários de Brasília, Expedicionários da Saúde, Operação Amazônia Nativa (Opan), The Nature Conservancy Brasil, Revista Xapuri e inúmeras personalidades nacionais e internacionais.

Foto: Documentário "O povo Xavante" by Franco Azzinari

 

Deixe uma resposta