Lacoste volta ao passado e reinventa obra de seu criador

Fotos: Yanis Vlamos e Alexandre Faraci/Divulgação

Com euforia e expectativa nas alturas, Louise Trotter debutou com sua primeira coleção para a Lacoste. O desfile realizado no Tennis Clube de Paris, foi palco para lembranças da época de René Lacoste, fundador da grife e sua dedicação. Seu estilo formam os pilares da coleção com trajes criados para performance e com exploração da marca como fonte iconográfica. A coleção de Outono Inverno 2019 revisita a elegância do passado do esporte e sua relevância na sociedade contemporânea.

Marca registrada, a polo sustenta a silhueta como um modelo de experimentação, desconstruído com colarinhos listrados, sobreposto com twinset ou exagerado em shapes gráficos. Tricots cubistas oversized dão continuidade ao tema, reinterpretando o tradicional sweater em forma de colagem de texturas. O tênis também é remixado, imerso em borracha ou com velcro.

Introduzindo ao vocabulário Lacoste novos elementos de design modular, sportif separa fecho em seus próprios bolsos e casacos protegem as mochilas, enquanto a saia é traduzida em forma de túnica plissada. Os mesmos volumes fluidos reaparecem em sedas estampadas plissadas, do geométrico e interligado monograma L a crepes em color block.

Crocodilo reinventado

Desenhado em 1927 por Robert George, o crocodilo Lacoste é tratado com irreverência e humor em uma variedade de disfarces – de estampados por toda a superfície, em delicados bordados, ou em forma de patchwork, até excêntricos acessórios em couro – afirmando o status de ícone universal da Pop Art.

Instagram da marca @lacoste

www.lacoste.com.br


Deixe uma resposta