Inspirada pela moda nova iorquina, Pantone propõe força para 2021

As duas cores inspiram união e trazem uma mensagem de força e esperança. Especialistas dão conta de cores que irão fazer sucesso além do amarelo e do cinza.
Por Alexandre Souta e Fernando Lackman

A Pantone, é uma autoridade mundial desde a década de 1970, quando o assunto são as cores. A partir do que a plataforma dita o mercado se inspira e desenvolve produtos, tendências e apostas para o ano seguinte. A tecnologia e sistemas de difusão de cores são conhecidos em todo mundo e abre possibilidades para criação e aplicação em várias áreas.

Em busca de um 2021 cheio de energia e muita força, a Pantone surpreende novamente com uma dupla de cores totalmente diferentes uma da outra, mas que juntas passam uma mensagem poderosa.

O ILLUMINATING (13-0647) é um tom de amarelo brilhante, alegre, quente e impregnado pela energia solar, cintilante e cheio de vivacidade. Já o ULTIMATE GRAY (17-5104) é um cinza emblemático de elementos sólidos e confiáveis que são duráveis, eternos e o fundamento de uma base firme.

Ao analisar, as duas cores parecem muito distantes uma da outra, mas se unem para oferecer inspiração, combinando sentimentos mais profundos de consideração e respeito com a promessa otimista de um dia ensolarado. Vale lembrar que as duas cores foram destaque nas semanas de moda de Nova York e Londres de primavera e verão de 2021.

O cérebro humano entende as cores de diferentes maneiras, elas influenciam nas emoções, sentimentos, desejos e transmite uma mensagem. No mundo da Pantone não poderia ser diferente, as cores passam mensagens e têm o poder de influenciar e traduzir o humor e até o estado de espírito de quem as vê.

A moda usa Pantone e a Pantone usa a moda para criar

De acordo com a experiência de conviver com os lançamentos da Pantone, o povo brasileiros, que sempre teve a moda internacional como ponto de partida para seguir tendências, tem se visto nos últimos anos, em uma paridade que parecia impossível de acontecer.

A Europa sempre foi a maior inspiração, mas esperar o que vem do Velho Mundo sempre incomodou os criadores brasileiros, o que acabou fazendo da moda daqui um misto de tendências próprias (definidas muitas vezes pelo comportamento do consumidor), com o que era proposto pela moda europeia. Entretanto, os Estados Unidos, que sempre foi forte, mas extremamente básico no que se refere a moda que gera conteúdo para inspiração, tem sido uma boa escola com marcas e grifes que nas últimas duas décadas resolveram que precisariam se destacar. E assim se fez.

A semana de moda de Nova Iorque, mesmo depois de tantas mudanças acabou se fortalecendo e criando uma cultura de moda mundial.

Em 2020, as cores que riscaram passarelas e apareceram em desfiles e fashion films acabaram por instigar a criação de uma cartela mais ampla e com maior vivacidade. Andam dizendo por aí que a Pantone, inclusive, se inspirou no que foi mostrado em NY para definir as cores apresentadas para 2021.

Em recente live no Instagram (abaixo), a expert em Semana de Moda de Nova Iorque, e em tendências internacionais, Silvia Sigliano com Márcia Crivorot, confirmou o uso de cores neutras e suaves.  e seguras para garantia de venda, entre elas estão rosas, verdes, azuis, salmão, mostarda e winter white, tudo com parcimônia, em opacidade e tudo bastante em pastel.

Os ciclos mais duradouros que a moda propõe em modelagens e cores têm sido gradativos e sem muito impacto de mudanças entre as temporadas. A mensagem ou simbolismo que está por trás traduz o maior significado para quem trabalha desvendando os porquês das cores na sociedade.

E você, que cor prefere para ter como base no 2021 que vem aflorando por aí?

Fotos: Divulgação Pantone

Deixe uma resposta