Cláudio Silveira: “O DFB DigiFest é o retrato da resiliência e criatividade do povo cearense”

Evento, totalmente digital, promovido no lugar da edição física do DFB Festival prova que o que importa é continuar a fazer a roda da moda girar

Ao falar do DFB Festival em 2019, pedi para a moda exalar mais amor e menos toxidade no nosso mundo. Inspirado no que acabara de acompanhar de pertinho na edição que festejou duas décadas da maior semana de moda autoral da América Latina, tive o insight de que tudo o que já era debatido há anos dentro do setor, enfim, estava sendo materializado. A valorização do ser humano enquanto criador de possibilidades e produtos sempre me fez sentir na obrigação de questionar e cobrar. Eis que, em menos de um ano, o próprio mundo resolve cutucar com fio de faca bem afiado e nos envia uma pandemia de dimensões e possibilidades de estrago, até então, inimagináveis.

Viu-se, além de cancelamentos, uma porção de pessoas buscando formas de, mesmo sem qualquer previsão de futuro, pensar no que viria. Futuro este, que até agora é incerto, e que colocou a moda e suas excentricidades à prova. Nesses momentos de recessão pandêmica, parece, que qualquer sinalização de “ufa”, probabilidades de amenidades, ou de “vai passar”, nos amarra à esperanças.

Não seria diferente com o DFB Festival. Em 2020, Claudio Silveira, o CEO dessa empreitada – junto à sua equipe de super-produtores-pensadores-criadores, e Helena Silveira –, resolveu não cruzar os braços e, desde o dia 1º de junho vem dando ao que fazem a melhor moda cearense e ao público, lições de que nada é impossível e, muito menos improvável.

O DFB Digifest é a versão online de tudo o que o DFB abraça. Uma forma determinante de que, por intermédio dele, venha a continuidade de conteúdo e, novamente, descobertas. Como sempre digo: acesse, observe, pince os dedos em zoom, se obrigue a questionar e aplauda, de pé (em casa mesmo!), cada nova forma de fazer a velha moda acontecer.

Cláudio Silveira concedeu uma entrevista exclusiva ao LACKMAN, confira:

O baque foi forte. Os planos foram subitamente alterados. Mas o DFB Festival não foi, de fato, cancelado. Quais foram os principais pilares para que a reinvenção fosse melhor considerada que um possível cancelamento?

Já nos encontrávamos com o DFB completamente formatado, em um processo que se iniciou em agosto do ano passado. Com a pandemia, a gente precisou trabalhar nossa criatividade, pois o evento tradicional já não poderia ser realizado. Como o mundo digital se encontra em plenitude e crescimento, resolvemos transformar esse meio como nossa principal plataforma de eventos e ações. Lá, poderíamos continuar nosso legado, de uma forma ressignificada.

Os números do DFB Festival falam por si só. Pessoas, empresas, instituições e uma diversidade de setores unidos em prol do desenvolvimento histórico do Ceará. Quais são as expectativas quanto aos dados que o novo DFB Digital trará?

Nossa principal meta com esse novo projeto é continuar animados, transparecendo e incentivando isso para os diferentes setores que compõem o DFB Festival. As iniciativas que realizamos são de uma extrema importância para designers, microempreendedores, artesãos, músicos e estudantes, seja no suporte financeiro ou no estímulo ao espírito criativo de cada um deles. O DFB DigiFest trará mais uma ferramenta a serviço da inovação, um retrato da resiliência e da criatividade do povo cearense.

O DFB, não foi apenas o primeiro a definir novo formato, mas foi o primeiro a executar o novo. Como foi o processo de adaptação de tudo o que já era tão marcante e esperado e teve que ser modificado?

O DFB Festival iniciou suas atividades em 1999, surgindo como a versão cearense de uma semana de fashion week tradicional, mas apresentando a moda autoral como essência. O evento evoluiu em cada edição, apresentando também ações que focam na economia criativa, atuação ainda esfera da cultura. O evento se tornou um festival, agregando shows, dança, mostras de audiovisual e gastronomia, e summit de formação em moda. O DFB DigiFest é a versão online da programação realizada no evento tradicional. Vamos apresentar os concursos para estudantes de moda e para modelos iniciantes; a mostra competitiva de fashion films; o line-up de workshops e palestras; lives musicais com grandes artistas; prêmios em dinheiro para microempreendedores e ações que extrapolam o digital, como a doação de milhares de máscaras para comunidades carentes de Fortaleza e o estímulo a restaurantes especializados em cozinha afetiva cearense.

Do DFB Digital, o que deverá ou poderá permanecer no DFB Festival no futuro?

O formato online certamente vai gerar alguns filhotes no próximo DFB Festival. A possibilidade de atingir muito mais pessoas em determinadas ações, como a Mostra Move Moda de fashion films, talvez mude definitivamente a forma com que desenvolvemos certas estratégias. O evento ainda se estenderá até o fim de julho. Ainda temos muitas cartas na manga, ações que o público ainda nem imagina. Quando tudo terminar, aí sim, poderemos avaliar melhor o que poderá voltar na edição física do DFB.

Já é possível imaginar quais serão os principais legados do DFB Digital?

Ainda é cedo, mas já dá pra cravar que o principal legado desta edição do DFB DigiFest é a consolidação da economia criativa cearense como celeiro de boas iniciativas, ainda que por vias alternativas. Vivemos uma crise sem precedentes, envolvendo as mais diferentes esferas. Usar a criatividade, a inovação e o espírito colaborativo, como foi o caso do DFB DigiFest, sinaliza um caminho novo para que estilistas, marcas, designers, artesãos, enfim, continuem garantindo renda e dignidade. Revelar o novo sempre foi a missão do DFB. Agora, estamos, em conjunto, revelando novas possibilidades e novos horizontes. O futuro nunca foi tão promissor.

Mais sobre o DFB 2020

Esperança e Solidariedade – Correalizado com a Enel, a iniciativa levará, de forma 100% gratuita, máscaras de proteção para domicílios situados nos bairros de maior vulnerabilidade da Região Metropolitana de Fortaleza.
12 designers e marcas autorais do line-up do DFB Festival desenvolveram estampas exclusivas, inspiradas em “esperança e solidariedade”. As estampas serão aplicadas em máscaras reutilizáveis, de uso prolongado, produzidas de acordo com as recomendações da RDC Nº 356, Ministério da Saúde, Anvisa e NBR 13698.

New Faces – Em parceria com a influencer Thyane Dantas como parte das atividades do DFB Festival desde 2017, o concurso New Faces evolui nesta edição para uma versão online.

Mostra MoveModa – A segunda edição da mostra de curtas-metragens assinados por videomakers profissionais, estudantes e amadores, tem como tema as múltiplas interpretações sobre visões de futuro que se desenham no horizonte. Nesta edição, serão distribuídos R$ 10.000,00 (dez mil reais) em dinheiro para os vídeos vencedores nas quatro categorias da mostra: Fashion Film Independente, Pensamento Crítico, Inovação em Linguagem e Talento Educacional.

Concurso dos Novos – Realizada desde 2001, a tradicional competição entre instituições de ensino superior e técnico de Estilismo e Moda já havia encerrado o prazo de inscrições antes das paralisações por conta da pandemia do novo coronavírus.
Ao invés da coleção cápsula completa, que seria apresentada em desfile durante a edição física do DFB Festival, a avaliação será feita a partir do look-piloto enviado e da análise dos projetos teóricos das propostas. O prêmio para a equipe vencedora será de R$ 5.000,00 (cinco mil reais).

Prêmio DFB Digital – Iniciativa realizada em parceria com o Sistema Fiec e o Sebrae/CE, o Prêmio DFB Digital foi criado em reconhecimento aos esforços da indústria têxtil do Ceará e de microempreendedores independentes, para contemplar as iniciativas que mais têm se destacado nesses tempos de isolamento social.
Além de apontar iniciativas de grandes players da indústria, o Prêmio DFB Digital vai mirar na atividade online de designers, artesãos e marcas autorais, que utilizam estratégias diferenciadas em suas plataformas digitais (sites, apps e redes sociais) para impulsionar modelos de negócio e comunicação em moda e design.
Os maiores destaques, eleitos por membros dos sindicatos do trade e profissionais da Imprensa serão contemplados com um total de R$ 15.000,00 (quinze mil reais) em dinheiro, que será dividido entre os três microempreendedores que se destacarem nas categorias “Engajamento Social”, “Negócio Sustentável” e “Feed Criativo”.

Marmita Chic – O DFB DigiFest realiza a versão online de sua mostra gastronômica, visando auxiliar restaurantes com expertise em comida afetiva cearense. Ao todo, chefs de nove restaurantes criarão suas versões de marmita-chic, que serão comercializadas online, em suas redes sociais, com preço acessível.

Curta todo o DFB DigiFest e suas ações pelo @dfbfestival no Instagram, e na plataforma dfbfestival.com.br.

Veja a LACKMAN Fashion Magazine com a cobertura da edição do DFB Festival 2019, aqui!

Texto: Fernando Lackman
Fotos: Davi Magalhães e Divulgação

 

Deixe uma resposta