Casa de Criadores reforça a importância das formas de resistência

O quarto dia da Casa de Criadores coloca em pauta a moda como agente transformador e o seu papel na busca por identidade
 Por Alexandre Souta e Fernando Lackman

Discursos que exaltam a liberdade dos corpos e existência plural, o surrealismo, a importância de peças feitas à mão, as artes visuais, a insegurança, a busca pelo novo, o regionalismo e o orgulho em fazer parte do sertão e o caos, fizeram parte da noite.


@kengawear


@thearvestuario


@_reptilia


@vouassim_


@sh1tsure


@davidleeoficial


@weidersilveiro

Por mais diversos e distantes os temas, e formas de contarem suas histórias, eles se convergem em dois pontos: a moda como agente de mudança e resistência. Fica bem claro como eles estão interligados, principalmente no momento em que vivemos hoje, em um mundo cheio de inseguranças, inúmeros tipos de preconceitos e barreiras. Nesse ponto a moda aparece como refúgio e agente transformador, abrindo espaço para expressão e celebração da diversidade, e muitas das vezes, como um ato político.

Mas nem só de discursos vive a moda, na prática ela também atua nas mudanças.
Diversos estilistas e designers possuem projetos que fazem parte da transformação de  muitas vidas. Por meio da produção de moda, costureiras e tecelãs que nunca se imaginaram no mundo fashion, cenário em que viam a moda em um lugar distante, agora fazem parte desse processo, agindo como grandes responsáveis para fazer com que croquis se tornem reais, moldando não somente peças, mas as suas vidas, costurando novos rumos.

Dudu Bertholini em seu discurso ressaltou a importância de projetos como a Casa de Criadores e o papel da moda nesse processo e destacou como a realização de um evento virtual é uma grande conquista tendo em vista o momento no qual vivemos.
“Hoje, mais do que nunca, a gente tem que fortalecer e valorizar a moda autoral, nacional, não hegemônica, e abrir caminhos para novas afirmações do que a moda é, e do que ela pode ser! A moda é antropológica, política, ela reflete o mundo a nossa volta, e se o mundo hoje clama por mudanças, a moda tem que ser reflexo dessa transformação.” discursou.

A “Código Aberto”, a roda de conversa do evento, teve um bate papo com Matutas Pro e uma conversa com o tema “É preciso TRANSver a beleza ou Beleza É Diversidade” com Magô Tonhon e Rapha da Cruz. A noite foi encerrada com um show de Danna Lisboa.

Confira abaixo o line up de hoje, último dia de evento,  27 de novembro. Para assistir basta acessar o www.casadecriadores.com.br. Vale lembrar que o desfile das Estirela começa às 17h e os demais às 20h.


Estileras


Vicenta Perrotta


Nalimo


Vivão


Reif.life


Rober Dognani


Jal Vieira

 

Fotos: Reprodução

 

Compartilhe

Deixe uma resposta